Quem sabe o que é ter que dar conta de tantos assuntos e tarefas diferentes, do trabalho à educação dos filhos, da atenção com os pais aos cuidados com a própria saúde, compreende que precisa de uma alimentação bastante equilibrada, suficiente para garantir energia e a concentração necessária.

Acontece que justamente é a rotina que muitas vezes não permite que isso aconteça e inicia um ciclo vicioso de falta de tempo no preparo das refeições, carência vitamínica e baixa produtividade como resultado.

Dia após dia, essa carência se torna cada vez mais evidente no organismo e se demonstra em sintomas como cansaço, queda de cabelos, unhas quebradiças, entre tantos outros sinais de que o corpo não está repondo vitaminas e minerais como deveria.

Como nem sempre é possível fazer uma readequação alimentar conveniente, os polivitamínicos surgem como uma excelente opção para suprir o organismo com um produto natural que traz ótimos resultados.

Tudo junto para a boa saúde

É possível encontrar polivitamínicos sintéticos ou aqueles que são produzidos tendo como base de alimentos integrais.

Os mais recomendados são os do segundo grupo porque os sintéticos, ou seja, aqueles produzidos com compostos químicos em laboratórios, costumam não apresentar respostas tão satisfatórias quantos os que são feitos com alimentos integrais, inclusive há especialistas que criticam o uso dos sintéticos.

Porém, mesmo depois de saber disso é possível que ainda surjam dúvidas sobre qual o melhor polivitamínico para cada pessoa.

É uma questão bem importante e somente um médico ou nutricionista pode dar a resposta correta. Um exame de sangue, por exemplo, é capaz de mostrar qual é exatamente a necessidade individual e a partir dessa avaliação há polivitamínicos que podem ser preparados por manipulação. Para esses é preciso que a farmácia prepare a partir das dosagens prescritas na receita.

Além de ser determinada a partir de exames laboratoriais, os especialistas também avaliam o sexo, idade e biótipo antes da prescrição.

Outro fator a ser considerado é que o excesso de vitaminas também pode acarretar transtornos para a saúde, o que é mais uma razão para saber a dosagem exata para cada indivíduo.

Para os produtos já prontos, é preciso prestar atenção nos rótulos das embalagens e verificar se os principais nutrientes básicos estão presentes, entre eles, a vitamina A, vitamina C, ácido fólico, vitamina K, potássio, iodo, zinco, betacaroteno e ferro.

Esses são fundamentais, mas há outros componentes que juntos contribuem para formar um polivitamínico eficiente.

Receita que não falha

Outros ingredientes universais para conquistar e manter uma boa saúde incluem: tomar sol, manter-se bem hidratado, exercitar-se e dar risadas. Sim, uma bela gargalhada libera endorfina, um hormônio que dá sensação de bem-estar.

E nesse mês para te ajudar a ter mais motivos para sorrir a Droga Vegetal está com descontos incríveis em toda linha de produtos, incluindo os polivitamínicos.

Seis hábitos saudáveis para seis meses

Entra ano e sai ano e o que mais se escuta são promessas. Todo planejamento é saudável e necessário, no entanto, quando esses planos não saem do papel, o que vemos é mais um ano desperdiçado e todo um tempo perdido. Nesse sentido, para auxiliar você a realizar as...

Homeopatia: o que é e como funciona?

Quando o assunto é homeopatia, uma quantidade enorme de informação se cruza e acaba confundindo a cabeça de muitos leitores interessados em se aprofundar nesse assunto. Pensando nisso, neste artigo explicaremos o que é e como funciona esse sistema medicinal...

Pin It on Pinterest

Share This